focosh@focosh.com.br
(45) 98813-1115
Você está em: Página Inicial > Cotidiano
Ex-prefeito de Santa Helena recorre a decisão condenatória de improbidade administrativa
Além de Sotoriva, outros 11 políticos foram condenados em segunda instância, sobre o suposto uso indevido de diárias da Câmara de Vereadores de Santa Helena.
Por RGL | Postado em: 04/12/2017 - 08:09

O ex-prefeito de Santa Helena, Jucerlei Sotoriva (PP), recorreu da decisão condenatória por improbidade administrativa. Além de Sotoriva, outros 11 políticos foram condenados em segunda instância, sobre o suposto uso indevido de diárias da Câmara de Vereadores de Santa Helena. 

Na época em que a denúncia foi oferecida ao Ministério Público, Jucerlei Sotoriva exercia o cargo de presidente do Poder Legislativo. Junto com ele, outros 13 foram acusados, sendo absolvidos em primeira e segunda instância, porém na capital do Estado, o Ministério Público recorreu da decisão e em julgamento por maioria, houve a modificação do resultado para 12 acusados, sendo condenados por improbidade administrativa, com a perda de direitos políticos e mantida a absolvição de dois.

Os réus são: Jucerlei Sotoriva, Valdonir Luiz Weizenmann (vereador em exercício), Luiz Carlos de Camargo, Nelson José Moura, Sadi Turra, João Pedro Noal, Marilaine Mânica Brod, Cleudir Pansera, Sirlei Tereza Cordova da Rosa, Darines Luis Wilsamnn, Eder Rafael Dala Costa e Mauricio Zimmermann. Os envolvidos foram condenados a perda dos direitos políticos e devolução de parte do dinheiro recebido em diárias. Aldemir Guerino e Mauricio Mentz foram absolvidos.

A decisão coube recurso, que segundo Jucerlei Sotoriva, está sendo providenciado. Em entrevista o ex-prefeito destacou que encara o caso com tranquilidade, pois segundo ele, há elementos e indícios muito claros de que a decisão condenatória é injusta.

Últimas Notícias
Cotidiano 15 Ago às 08:10
Colapso da ponte Morandi ocorreu durante uma forte chuva que atingia a região na terça-feira. Até o momento, 39 pessoas morreram na tragédia - entre elas, três crianças.
Cotidiano 15 Ago às 07:21
Empresa não aceitou o pagamento com o cartão do benefício e chamou a polícia na noite de segunda-feira (13). Casal não foi preso. Regras do benefício dizem que famílias têm liberdade para usar o dinheiro.
Tecnologia e desenvolvimento