focosh@focosh.com.br
(45) 98813-1115
Você está em: Página Inicial > Política
Moro chega ao RJ para ver Bolsonaro e cita agenda anticorrupção
'O país precisa de uma agenda anticorrupção e anticrime organizado', diz Moro no voo para se encontrar com Bolsonaro
Por G1 | Postado em: 01/11/2018 - 09:05

Mais Imagens

O juiz Sergio Moro chegou às 9h desta quinta-feira (1) à casa de Jair Bolsonaro, na Barra da Tijuca. Os dois vão conversar sobre o desejo do presidente eleito de ver o magistrado como ministro da Justiça ou do Supremo Tribunal Federal, quando houver vaga.

Moro desembarcou no Aeroporto Santos Dumont por volta das 7h30. Ele veio de Curitiba em voo de carreira e sem seguranças.

Questionado sobre o que o motiva para o encontro com Bolsonaro, o juiz afirmou que o país precisa de uma agenda anticorrupção e anticrime organizado. "Se houver a possibilidade de uma implementação dessa agenda, convergência de ideias, como isso ser feito, então há uma possibilidade. Mas como disse, é tudo muito prematuro", destacou Moro.

Durante o voo, ele chegou a dizer que ainda não há nada definido.

'Honrado com a lembrança'

 

Na terça, Moro afirmou que, caso o nome dele seja indicado para o STF ou para o Ministério da Justiça, vai refletir sobre o convite.

"Sobre a menção pública pelo Sr. Presidente eleito ao meu nome para compor o Supremo Tribunal Federal quando houver vaga ou para ser indicado para ministro da Justiça em sua gestão, apenas tenho a dizer publicamente que fico honrado com a lembrança. Caso efetivado oportunamente o convite, será objeto de ponderada discussão e reflexão", diz a nota divulgada pela Justiça Federal do Paraná.

A possibilidade foi levantada por Jair Bolsonaro na noite desta segunda-feira (29), em entrevista ao vivo ao "Jornal Nacional". O avião que está trazendo Sérgio Moro decolou do aeroporto Afonso Pena, na região metropolitana de Curitiba, pouco antes das 6h30 desta quinta.

Moro é o juiz responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância e, com o avançar da operação, ganhou notoriedade nacional. Na avaliação do presidente eleito, Moro é um símbolo no Brasil.

"Eu costumo dizer que é um homem que perdeu sua liberdade no combate à corrupção. Ele não pode mais ir à padaria sozinho ou ir passear com a família no shopping sem ter aparato de segurança ao lado. É um homem que tem que ter o trabalho reconhecido", disse durante a entrevista.

O presidente disse ainda que a corrupção tem que ser banida no país e que "ninguém suporta mais conviver com essa prática tão nefasta".

 

Apoiadores em 'vigília'

Além da movimentação de jornalistas, apoiadores de Bolsonaro esperavam na porta do condomínio onde o presidente eleito mora, na Praia da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

As amigas Ilma Lopes e Marinês Pulcherio tentaram ver a chegada do juiz Sergio Moro. A administradora Ilma mora na Barra da Tijuca, mas afirmou que essa é a primeira vez que vai até o local. “Viemos para prestigiar o Moro. A gente é fã dele de carteirinha. A gente só queria retribuir um pouco o que ele tem feito. Ela (Marinês) é mais Bolsonaro, eu sou mais Moro”, disse Ilma.

Tecnologia e desenvolvimento